Como evoluir como pessoa?

Por anos ministrando treinamentos, a minha experiência mostra que em sala de treinamentos ou na própria leitura do livro Intrapessoal é fácil reconhecer o comportamento das pessoas mais próximas a nós; no entanto, quando não somos "caricaturados", temos grande dificuldade em ter a percepção exata sobre como evoluir e alguns erros são comuns.


Por exemplo:

Quando perguntado a uma pessoa calma quais são seus planos para evolução comportamental, a grande maioria diz que precisa ser ainda mais calma; se perguntado a um trabalhador, a resposta segue a linha de raciocínio de que é preciso trabalhar mais, dedicar-se ainda mais; a alguém que já é prestativo, talvez a resposta seja direcionada para ajudar ainda mais as outras pessoas.


Em suma, as pessoas têm uma grande tendência de imaginar que para serem melhores precisam fazer mais daquilo no que já são boas, porém a ideia de impulsionar o crescimento eliminando o comportamento que a limita segue justamente o caminho inverso a isso.


O equilíbrio do calmo é tornar-se mais enérgico, ou seja, ele que por hábito é complacente com as ideias impostas a si, tem dificuldade de dizer não, entre outros vários aspectos que iremos estudar à frente. Este comportamento às vezes precisa impor suas vontades. Seguindo o mesmo exemplo, o equilíbrio do prestativo, que já costuma pensar nos outros, é ser mais individualista e pensar em si; do trabalhador, que se já se dedica tanto às tarefas, é pensar na família.


O movimento oposto à sua crença é algo que a pessoa não está acostumada a fazer, nem se sentirá confortável num primeiro momento. Outro movimento que nos leva ao erro é que é muito natural as pessoas que já têm uma melhor percepção de si procurar a sua evolução tendo um relacionamento com alguém oposto, mas justamente por se tratar de opostos, no começo tudo são flores, a diferença é atraente; depois de alguns anos, sem a compreensão consciente que a diferença pode nos favorecer, passamos a criticar justamente as diferenças.


“Se eu te amei por ser calmo, hoje vejo que você é calmo demais, a sua calma me irrita.”


A proposta do curso intrapessoal é o aproximar-se do equilíbrio.

Por exemplo: uma pessoa nervosa sabe que precisa ser mais calma, mas ela não sabe como fazer para desenvolver esta calma interior, portanto, daremos dicas de qual perfil exato de comportamento deve estudar. Como pensa e age uma pessoa calma, quais são os hábitos positivos que este comportamento tem que me ajudariam e, dessa forma, passa a adquirir novas qualidades.


Depois de um tempo, ela reduziria a intensidade do seu vício emocional (inconsciente) que é ser calmo demais ou trabalhador demais, e assim por diante, para ser quem ela realmente quiser ser, de forma consciente.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Desde a nossa formação, ainda na infância, optamos inconscientemente por adotar um estilo de defesa e proteção para tomar nossas ...

Algumas pessoas dizem conhecer bem quais são seus próprios defeitos e a maioria delas, ao invés de adotar uma postura ...