Comportamento de Pessoas

Talvez ainda seja um pouco complexo entender por não haver uma familiaridade com o assunto, mas tudo começa na nossa pequena infância. Desde a nossa formação, ainda na infância, optamos inconscientemente por adotar um estilo de defesa e proteção para tomar nossas “minidecisões” e com isso fazemos movimentos para obter atenção e suprir uma ferida emocional.


Todos agimos, decidimos e movimentamo-nos impulsionados por influência de uma emoção, seja ela orgulho, vaidade, medo, raiva, inveja, preguiça, entre outras, e o que inconscientemente vamos nos apegando mais a uma destas emoções e automaticamente definindo como será o nosso comportamento predominante quando não tivermos consciente. Há nove movimentos, o que significa dizer que você, eu e todos com certeza nos enquadramos em algum.


Da infância até a vida adulta, seguimos este modelo padrão de tomar decisões e o livro Intrapessoal traz um objetivo, que é estudarmos todos e após identificar o comportamento principal, também identificar os dois comportamentos apoiadores, que são muito influentes. Por exemplo, se o primeiro comportamento for o desempenhador, (que é uma pessoa focada em seu desempenho) e o segundo o seguro (que é uma pessoa mais “pé no chão”) e o terceiro o pacificador (que é o mais calmo, tranquilo), então esta pessoa tem todas as características do primeiro, que é ser voltado para o seu alto desempenho profissional e pessoal com um freio movido pelo equilíbrio familiar e do medo, necessário para pensar, repensar e manter rotina, com calma e tranquilidade, sem loucuras, porém com seus projetos demorando em terminar, procrastinados pelo pacificador, o que não significa que esta pessoa deixará de entrar em ação, mas fará num tempo um pouco maior do que caso fosse um desempenhador, em que o segundo e o terceiro, ou seja, seus apoiadores fossem o sonhador (otimista bem-humorado voltado para prazer imediato) e o dominador (realizador que gosta de mostrar poder, força e grandiosidade), ou seja, os movimentos seriam diferentes, o mesmo desempenhador porém com mais coragem e impulsividade para se arriscar, mudar e seguir o seu imediatismo com mais agressividade e energia, porém com menos cautela, colocando-o frequentemente diante de riscos.


Em resumo, ambos possuem o comportamento desempenhador como predominante, mas seus apoiadores, a segunda e terceira emoção que influenciam suas decisões são diferentes, elas fazem movimentos para auxiliar a ótica deste primeiro, que, no caso, trata-se do alto nível de desempenho. No exemplo acima, um desempenhador mais calmo e "pé no chão" e outro mais enérgico e "arrojado".


Após identificados os três primeiros comportamentos, virão os quatro intermediários que adotaremos em uma ou outra situação da vida e, por fim, os dois últimos, que se constituirão na visão daquilo que abre aspas, ou seja, aquilo que “não sou”. Na verdade, você é, todas estas emoções estão presentes em você, mas com pouca influência na sua personalidade. Estes também serão facilmente reconhecidos pelo leitor do livro Intrapessoal – a Inteligência do Autoconhecimento.


Este é um estudo bem aprofundado sobre comportamento de pessoas.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Algumas pessoas dizem conhecer bem quais são seus próprios defeitos e a maioria delas, ao invés de adotar uma postura ...

Quando perguntado a uma pessoa calma quais são seus planos para evolução comportamental, a grande maioria diz que precisa ser ...